A Nossa História

A Sociedade Promotora de Educação Popular foi fundada a 30 de Setembro de 1904, com sede na Rua de Alcântara, por um grupo de republicanos com explícitos objectivos culturais e educativos. Visava a colectividade “assistir ao nosso operariado dissipando as trevas do analfabetismo, lançando centelhas de luz no espírito da classe trabalhadora.

Pretendia, no fundo, veicular uma “educação livre, laica e democrática”, ou seja, aquela que tinha por finalidade “procurar no aluno o embrião do Homem Livre, do qual se desenvolve o cidadão consciente, necessariamente forte e bom, honrado e trabalhador, inteligente e alegre”.[1]

A actividade educativa da S.P.E.P. iniciou-se em 1905 com o funcionamento de uma escola noturna para o sexo masculino, segundo o método João de Deus.

No ano letivo 1907/1908, o ensino é alargado ao sexo feminino, passa a ser diurno e nos programas curriculares constam aulas primárias elementares de Língua Portuguesa, Francês, Aritmética, Desenho, Escrituração e Contabilidade, História e Georeografia de Portugal e Música.

No ano letivo 1912/13 iniciam-se as lições de Inglês, Ginástica os Cursos noturnos para Senhoras (proibidos em 1926 e reabertos em 1953) e as sessões de Biblioteca com programa de Leitura conduzida.

A 20 de Outubro de 1931, é atribuído à Sociedade Promotora de Educação Popular o alvará de licença de ensino, passando a funcionar, na sua atual morada, como uma escola de Primeiro Ciclo do Ensino Básico, prevendo a lotação máxima de 200 alunos e possuindo paralelismo pedagógico.  


[1] in "Tese de Mestrado de História dos Séculos XIX e XX", pela Drª Cláudia Vieira Leitão.